segunda-feira, 22 de maio de 2017

O zênite da compreensão


Poderei eu, nessas tantas circunstâncias obscuras da vida, perder todas as coisas materiais, todos os familiares, todos os amigos. Poderei eu até perder a saúde, ser superado pelo esgotamento e definhamento físicos.
Enquanto mantiver a lucidez, jamais serei sobrepujado pelo desespero
E mesmo que eu perca completamente essa percepção consciente, jamais estarei abandonado ou entregue à sorte ateística de um fim ilógico e eterno
Há aqueles que embasam toda a sua existência no materialismo e no determinismo dogmático de uma realidade que se detêm apenas às coisas mundanas e passageiras, não muito diferente de um construtor que no fundo almeja que sua obra venha abaixo assim que ele morrer.
E há aqueles que tocados, sobretudo, pela razão existencial, enxergam um propósito maior, além e aquém desta vida. Encaram o tempo como uma ampulheta que ao se esvair os conduzirá para uma nova realidade, onde o próprio tempo não mais terá fim. São estes os construtores que almejam que suas obras sejam apreciadas, enaltecidas, vislumbradas e que sobrevivam por longos anos, independente de estarem aqui ou não.

Estes últimos certamente são muito mais fortes e resilientes que os primeiros diante dos obstáculos e adversidades da vida.
Estes são os que aceitam que há um sentido maior e transcendental em suas existências.
Estes são os que acataram a irrefutabilidade da existência de um ser supremo, criador de todas as criações e criaturas.
Estes são os que absorveram em si a verdade revelada por Cristo, o único e verdadeiro Deus.
Estes são os que têm fé, que é o ápice e o apogeu do entendimento acerca da verdade inerrante incutida nos ensinamentos e preceitos cristãos.



Renato Oliveira         05 de fevereiro de 2017



terça-feira, 4 de abril de 2017

Passagens bíblicas para céticos e ateus


"No princípio, Deus criou os céus e a terra."
(Gênesis 1:1)

"Diz o insensato em seu coração: Não há Deus."
(Salmo 13:1) 


"A fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê.
Foi ela que fez a glória dos nossos, antepassados.
Pela fé reconhecemos que o mundo foi formado pela palavra de Deus e que as coisas visíveis se originaram do invisível."
(Hebreus 11:1-3) 


"Levantai os olhos para o céu e olhai. Quem criou todos esses astros?..."
(Isaías 40:26)


"Ninguém jamais viu a Deus. Se nos amarmos mutuamente, Deus permanece em nós e o seu amor em nós é perfeito.
Nisto é que conhecemos que estamos nele e ele em nós, por ele nos ter dado o seu Espírito."
(I João 4:12-13)


"Tu és digno Senhor, nosso Deus, de receber a honra, a glória e a majestade, porque criaste todas as coisas, e por tua vontade é que existem e foram criadas."
(Apocalipse 4:11)


"A ira de Deus se manifesta do alto do céu contra toda a impiedade e perversidade dos homens, que pela injustiça aprisionam a verdade.
Porquanto o que se pode conhecer de Deus eles o leem em si mesmos, pois Deus lho revelou com evidência.
Desde a criação do mundo, as perfeições invisíveis de Deus, o seu sempiterno poder e divindade, se tornam visíveis à inteligência, por suas obras; de modo que não se podem escusar.
Porque, conhecendo a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças. Pelo contrário, extraviaram-se em seus vãos pensamentos, e se lhes obscureceu o coração insensato.
Pretendendo-se sábios, tornaram-se estultos. Mudaram a majestade de Deus incorruptível em representações e figuras de homem corruptível, de aves, quadrúpedes e répteis. Por isso, Deus os entregou aos desejos dos seus corações, à imundície, de modo que desonraram entre si os próprios corpos.
Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura em vez do Criador, que é bendito pelos séculos. Amém!
Por isso, Deus os entregou a paixões vergonhosas: as suas mulheres mudaram as relações naturais em relações contra a natureza. Do mesmo modo também os homens, deixando o uso natural da mulher, arderam em desejos uns para com os outros, cometendo homens com homens a torpeza, e recebendo em seus corpos a paga devida ao seu desvario. Como não se preocupassem em adquirir o conhecimento de Deus, Deus entregou-os aos sentimentos depravados, e daí o seu procedimento indigno. São repletos de toda espécie de malícia, perversidade, cobiça, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade. São difamadores, caluniadores, inimigos de Deus, insolentes, soberbos, altivos, inventores de maldades, rebeldes contra os pais. São insensatos, desleais, sem coração, sem misericórdia. Apesar de conhecerem o justo decreto de Deus que considera dignos de morte aqueles que fazem tais coisas, não somente as praticam, como também aplaudem os que as cometem."
(Romanos 1:18-32)


"O Senhor sonda o justo como o ímpio, mas aquele que ama a injustiça, ele o aborrece. Sobre os ímpios ele fará cair uma chuva de fogo e de enxofre; um vento abrasador de procela será o seu quinhão. Porque o Senhor é justo, ele ama a justiça; e os homens retos contemplarão a sua face."
(Salmos 10:5-7)


"Que os pecadores caiam na região dos mortos, todos esses povos que olvidaram a Deus.  O pobre, porém, não ficará no eterno esquecimento; nem a esperança dos aflitos será frustrada para sempre. Levantai-vos, Senhor! Não seja o homem quem tenha a última palavra! Que diante de vós sejam julgadas as nações. Enchei-as de pavor, Senhor, para que saibam que não passam de simples homens.
(1) Senhor, por que ficais tão longe? Por que vos ocultais nas horas de angústia?
(2) Enquanto o ímpio se enche de orgulho, é vexado o infeliz com as tribulações que aquele tramou.
(3) O pecador se gloria até de sua cupidez, o cobiçoso blasfema e despreza a Deus.
(4) Em sua arrogância, o ímpio diz: Não há castigo, Deus não existe. É tudo e só o que ele pensa.
(5) Em todos os tempos, próspero é o curso de sua vida; vossos juízos estão acima de seu alcance; quanto a seus adversários, os despreza a todos.
(6) Diz no coração: Nada me abalará, jamais terei má sorte.
(7) De maledicência, astúcia e dolo sua boca está cheia; em sua língua só existem palavras injuriosas e ofensivas.
(8) Põe-se de emboscada na vizinhança dos povoados, mata o inocente em lugares ocultos; seus olhos vigiam o infeliz.
(9) Como um leão no covil, espreita, no escuro; arma ciladas para surpreender o infeliz, colhe-o, na sua rede, e o arrebata.
(10) Curva-se, agacha-se no chão, e os infortunados caem em suas garras.
(11) Depois diz em seu coração: Deus depressa se esquecerá, ele voltará a cabeça, nunca vê nada.
(12) Levantai-vos, Senhor! Estendei a mão, e não vos esqueçais dos pobres.
(13) Por que razão o ímpio despreza a Deus e diz em seu coração Não haverá castigo?
(14) Entretanto, vós vedes tudo: observais os que penam e sofrem, a fim de tomar a causa deles em vossas mãos. É a vós que se abandona o infortunado, sois vós o amparo do órfão.
(15) Esmagai, pois, o braço do pecador perverso; persegui sua malícia, para que não subsista.
(16) O Senhor é rei eterno, as nações pagãs desaparecerão de seu domínio.
(17) Senhor, ouvistes os desejos dos humildes, confortastes-lhes o coração e os atendestes.
(18) Para que justiça seja feita ao órfão e ao oprimido, nem mais incuta terror o homem tirado do pó."
(Salmos 9:18-39)


"Narram os céus a glória de Deus, e o firmamento anuncia a obra de suas mãos. O dia ao outro transmite essa mensagem, e uma noite à outra a repete. Não é uma língua nem são palavras, cujo sentido não se perceba, porque por toda a terra se espalha o seu ruído, e até os confins do mundo a sua voz."
(Salmos 18:2-5)


"A lei do Senhor é perfeita, reconforta a alma; a ordem do Senhor é segura, instrui o simples. Os preceitos do Senhor são retos, deleitam o coração; o mandamento do Senhor é luminoso, esclarece os olhos."
(Salmos 18:8-9)


"O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos olhos, o que temos contemplado e as nossas mãos têm apalpado no tocante ao Verbo da vida - porque a vida se manifestou, e nós a temos visto; damos testemunho e vos anunciamos a vida eterna, que estava no Pai e que se nos manifestou -, o que vimos e ouvimos nós vos anunciamos, para que também vós tenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com o seu Filho Jesus Cristo. Escrevemo-vos estas coisas para que a vossa alegria seja completa. A nova que dele temos ouvido e vos anunciamos é esta: Deus é luz e nele não há treva alguma. Se dizemos ter comunhão com ele, mas andamos nas trevas, mentimos e não seguimos a verdade. Se, porém, andamos na luz como ele mesmo está na luz, temos comunhão recíproca uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado.
Se dizemos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós.
Se reconhecemos os nossos pecados, (Deus aí está) fiel e justo para nos perdoar os pecados e para nos purificar de toda iniquidade. Se pensamos não ter pecado, nós o declaramos mentiroso e a sua palavra não está em nós."
(I João 1:1-10)



"Pergunta, pois, aos animais e eles te ensinarão; às aves do céu e elas te instruirão. Fala (aos répteis) da terra, e eles te responderão, e aos peixes do mar, e eles te darão lições. Entre todos esses seres quem não sabe que a mão de Deus fez tudo isso, ele que tem em mãos a alma de tudo o que vive, e o sopro de vida de todos os humanos?"
(Jó 12:7-10)



"Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho?
Jesus lhe respondeu: Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim."
(João 14:5-6)



terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Poesia para Deus


Oh Senhor, meu Deus, Deus de luz e de amor,
o que estamos fazendo?
Imagino a Vossa amargura e a Vossa dor
diante de tudo que está acontecendo.

Nós entendemos tudo errado, Senhor Jesus;
na verdade não entendemos nada;
falta-nos entendimento, falta-nos a luz;
nós nos desviamos, saímos da reta estrada.

Julgamo-nos senhores do mundo, os reis do universo;
pisamos em Vossa lei, em Vossos mandamentos,
o homem tornou-se vil, tornou-se perverso
e sua ruína avança em total recrudescimento.

Diz o insensato que Deus não existe,
cria para si a sua própria 'verdade';
apontam para Ti com o dedo em riste,
atacando Vosso nome e Vossa santidade.

Deturpam a Vossa Palavra e a Vossa doutrina,
colocam-se acima do bem e do mal,
contrariam tudo o que a Santa Igreja ensina;
tudo em nome do prazer carnal.

Ensina-nos, oh Pai, a ter sabedoria,
livrai o homem de sua abismal ignorância,
para que de Ti não mais façam alegoria,
para que se extinga a humana arrogância.

Oh Senhor, tende piedade de nós,
tende misericórdia da humanidade;
console a todos os que se sentem sós,
pois nada somos sem a Vossa verdade.

Muitos duvidam da Vossa justiça,
muitos olvidam da Vossa onipresença,
acham que a Vossa mão permanece omissa
e que nao haverá jugo ou nenhuma sentença.

É o livre arbítrio a serviço da iniquidade,
o homem desviado de Vossos preceitos,
pregam um deus de injustiça, um deus de maldade,
esquecendo Jesus e seus maravilhosos feitos.

A Bíblia mutilada, distorcida, mal interpretada
virou uma arma na mão dos devassos;
a cada dia uma nova seita ou religião é fundada,
levando o homem à confusão e ao fracasso.

Oh Virgem Maria, Mãe santíssima intercessora,
rogai por nós, impuros e pecadores,
intercedei por nós, oh Mãe, auxiliadora,
para que tenhamos alívio em nossas dores.

Oh Senhor Jesus Cristo, meu Deus, meu Salvador,
perdoa-me, oh Pai, pois sou apenas um tolo
que acabou se desviando do Seu infinito amor
e que hoje, arrependido, anatemiza o antigo dolo.

Reconheço, Senhor, todos os meus pecados,
peço perdão pelas falhas e pela minha fraqueza,
sei que hoje ainda não sou digno de estar ao Seu lado,
mas é o que eu mais desejo, com toda certeza.

Peço a intercessão de todos os santos,
para que Deus me guie todos os dias,
para que se finde o sofrimento e o pranto,
pela intercessão da Santíssima Virgem Maria.

Meu Deus, muito obrigado pela dádiva da vida,
espero agradá-lo e não mais desviar-me,
que a Vossa Verdade seja por mim absorvida
e que em tudo eu a aplique para orientar-me.

Pedirei perdão até o fim dos meus dias,
por todas as vezes que pequei contra Ti,
faça de mim, Senhor, a Vossa moradia,
onde Tua Palavra esteja, também eu esteja ali.

Livra-me, Senhor, da maldade humana,
não permitas que eu Vos desagrade,
salva-me, Jesus, da tentação mundana,
que eu seja forte e não mais me degrade.

Prometo, meu Pai, esforçar-me para agradá-lo,
lutar contra os impulsos da imoralidade,
enaltecer Vosso nome, louvá-lo e glorificá-lo;
para que seja feita a Vossa santa vontade.

Muito obrigado, meu Deus, por tudo!
Perdoa-me se outra vez eu pecar;
sei que minha fé é o meu maior escudo
para que somente a Ti eu possa adorar.

Muito, muito obrigado meu Deus!
Pelo mundo, pela vida, por tudo isto!
Salve Virgem Maria, mãe de Deus!
Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!



Amém!



Renato Oliveira         31 de dezembro de 2016







terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Sempre os mesmos argumentos


Então quer dizer que o neo-ateuzinho agora quer transformar essa frase em argumento contra a existência de Deus?
Interessante! Vamos pensar...
De fato concordamos que o ateu já está cada vez mais familiarizado com a apologética cristã e que até conhece superficialmente muitos argumentos que liquidam suas vãs pretensões de provar que Deus não existe. Claro, ele jamais vai admitir isso.
Justamente por essa razão, agora o ateu que já não tem mais argumentos lógicos e condizentemente científicos para defender sua crença na descrença, tem usado cada vez mais a frase "Sempre os mesmos argumentos!" para tentar desqualificar um cristão debatedor.
Tão néscios, como diz a própria Bíblia, que nem se dão conta que a mesma frase poderia ser bem melhor voltada para eles mesmos, afinal, são os ateus que valem-se de argumentos falhos, altamente hipotéticos e pseudocientíficos - alguns refutados há quase cem anos - que todo mundo já está cansado de ouvir.

Quanto mais a Ciência evolui, mais nos aproximamos da verdade que envolve a criação e o próprio Deus.
Quanto mais a Arqueologia trabalha, mais certeza temos de que a Bíblia é verdadeira.
Quanto mais a Filosofia trabalha para negar a existência de Deus, mais a mesma Filosofia se rende à contemporaneidade dos argumentos  filosóficos teístas.
Quanto mais o homem conhece e aprende, mais ele percebe o quão é ignorante aquele que afirma não haver Deus.

A verdade conspira a favor da verdade. E se há uma verdade imutável, sua essência está em Deus.

"Sempre os mesmos argumentos!".
OS MESMOS ARGUMENTOS QUE ATEU NENHUM ATÉ HOJE FOI CAPAZ DE REFUTAR! 
Cadê a criatividade e a sapiência de vocês! Porque ao invés de apenas criticar a repetitividade dos argumentos apologéticos vocês não tentam ao menos respondê-los (pois refutá-los sei que jamais terão capacidade para fazê-lo).
Mudem seus argumentos falaciosos queridos neo-ateus!
Os ultrapassados são vocês!

Renato Curse                 outubro de 2016


"O escarnecedor não gosta daquele que o repreende;
não irá ter com os sábios." - Provérbios: 15:12


quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Ateus nunca vivem como ateus por muito tempo


Analisando o diálogo entre dois colegas que se dizem ateus (e sempre fazem questão de lembrar isso, mesmo que ninguém lhes peça a opinião e mesmo que seja completamente desnecessário) pude notar claramente que são dois jovens idealistas, cheios de planos e de sonhos, como a grande maioria dos jovens de hoje. Em busca de status, em busca de fama, em busca de dinheiro, em busca de relacionamentos. Um deles é excessivamente cristofóbico e ambos são escarnecedores gratuitos. A fé de outras pessoas os incomodam profundamente e por mais que se esforcem em negar, isso fica evidente a cada vez que se deparam com um tema que envolva o nome Deus. Mas, claro, o Deus cristão, o único e verdadeiro. Se alguém pronunciar um 'namastê', um 'oxalá' ou um 'hail satan', esses dois colegas ateus provavelmente ficarão indiferentes. Mas experimenta falar em Jesus Cristo! É como falar sobre alguma pessoa que outra, cheia de amargura e ressentimento, detesta. Esta jamais perderá a oportunidade de criticar ou até difamar. E é exatamente isso que esses dois fazem. Criticam o que gostariam que não existisse, embora em seu íntimo, com a certeza de que ambos têm que não há como provar a inexistência divina, tenham plena consciência de que podem estar equivocados. 
Se não há como provar que Deus existe, menos ainda se pode provar o contrário. 
Entretanto, a fé dá ao cristão a certeza absoluta de que existe um Deus criador, onipotente, onisciente, onipresente e transcendental (e que jamais será explicado). Porém, estes dois colegas ateus, a exemplo da grande maioria dos céticos, optaram por ficar 'em cima do muro', como se isso fosse a escolha mais racional. Como se o ateísmo fosse lógico! 

Apesar de respeitar a 'crença' absurda destes dois colegas ateus, não consigo entender porque dois jovens que afirmam não acreditar em Deus agem exatamente como os jovens cristãos: traçam metas, fazem planos e alimentam sonhos. Ou seja, eles agem como se a vida tivesse sentido e houvesse um propósito maior nas coisas mundanas. Em matéria de ideologia eles até podem agir como ateus, mas nunca em matéria de comportamento!
Bom, pelo menos quando eu era ateu, comportava-me exatamente como tal: "sexo, drogas e hard core! No future! Viva o niilismo! Sem Deus, sem pátria e sem patrão". Ficava dias fora de casa, não dava qualquer satisfação a ninguém. "Ora, Deus não existe, foda-se o mundo, foda-se a humanidade!" Resumindo: eu fui mais ateu que esses dois ateus juntos. 

O que vejo no comportamento deles  é um contraste entre a moralidade de Deus e a moralidade que eles 'inventaram', 'adaptaram'. No fundo isso é bom, pois se um insensato ateu radical e militante como eu fui pôde ser capaz de compreender que Deus é tão óbvio quanto tudo o que vemos e tão inexplicável (e inobservável cientificamente) como o pensamento, sei que um dia estes dois colegas, ao adquirirem mais amadurecimento e, sobretudo, conhecimento, hão de também admitir o quanto estiveram errados.
Mas, tudo é uma questão de escolha. Tudo é uma questão de livre arbítrio.

Nada foi capaz de me convencer do contrário quando eu estufava o peito e dizia "Deus não existe". Nada e nem ninguém. Nem mesmo a possibilidade real da morte (e não foram poucas), nem mesmo o amor de meus pais, nem mesmo os tantos diálogos com cristãos. 

Muitos dizem que chegaram a Deus pelo amor ou pela dor, mas eu cheguei a Ele pela curiosidade e consequentemente, pelo conhecimento. Não tenho a mínima pretensão de subestimar a inteligência dos ateus, mas eu falo única e exclusivamente por mim: QUANDO EU ERA ATEU ME ACHAVA UM SÁBIO, PORÉM, NÃO PASSAVA DE UM BURRO! E não querendo me gabar, mas eu era muito elogiado por (segundo amigos e familiares) ser muito inteligente.
(Um dia eles ainda vão entender o que quero dizer quando afirmo que quando era ateu eu era um burro.)

O que sei com toda certeza é que estes dois colegas ateus estão muito mais próximos de Deus do que eu estava quando era ateu.
E eles têm uma grande vantagem: na minha época eu tinha que buscar o conhecimento nas bancas e bibliotecas, nos cursos de parapsicologia fora da minha cidade; hoje os livros e o conhecimento são muito mais acessíveis.
Aceitar Deus no coração só é possível quando o aceitamos primeiro em nossas mentes.


"PENSAR COMO ATEU É FÁCIL. Também não é difícil viver um ou mais dias como tal. Porém, VIVER COMO UM ATEU POR ANOS A FIO, NA PRÁTICA, É ABSOLUTAMENTE IMPOSSÍVEL! Das duas uma: ou se morre em consequência de uma vida sem propósitos e sentido objetivos, ou se deixa de ser ateu."



Renato Curse                        13 de outubro de 2016


terça-feira, 11 de outubro de 2016

A deficiente compreensão dos incrédulos


Algumas pessoas buscam o conhecimento o tempo todo, imparcial e ilimitadamente. Outras buscam-no com o meticuloso cuidado da limitação seletiva. Estes, já acostumados e adaptados às suas posturas céticas, não farão muito esforço para tentar compreender o que não lhes interessar. E não há interesse em nada que se contraponha às suas ideologias. Em outras palavras, a receptividade com que abraçam aquilo que lhes convém é tão parcial e apaixonada que estas pessoas vão simplesmente fechar os olhos e os ouvidos para todas as objeções ideológicas, mesmo que estas sejam as mais autênticas e idôneas que se pode haver (do ponto de vista racional). O fato é que agindo assim, estas pessoas limitam o seu próprio conhecimento. E um aprendizado deficiente gera ceticismo, agnosticismo, ateísmo,  paganismo, crendices, superstições e toda a sorte de doutrinas incoerentes e confusas. Não é agindo como um cético que você abrirá sua mente, muito pelo contrário, você estará delimitando sua própria capacidade de compreensão. 
Incredulidade desmedida gera incompreensão.
A mente cética vive  predisposta a repelir qualquer argumento, teoria ou ideologia que se contraponha ao seu ceticismo. Por exemplo: se a pessoa, quer seja por conveniência (particular) ou por comodismo, for um partidário comunista autodeclarado, jamais vai admitir as falhas, erros e até a inaplicabilidade da doutrina comunista no nosso atual cotidiano. Nem mesmo a história os convence. Nem mesmo a evidência gritante de que o comunismo fracassou em tudo aquilo que propunha em matéria de liberdade e igualdade. Se tivessem passado pelas privações e injustiças que o povo submetido aos regimes comunistas (todos, sem exceção) passou, quiçá pensassem de outra maneira. Mera hipótese. Mas isso é apenas um dos tantos exemplos que se tem por aí.
O conhecimento cético é um conhecimento deficiente e quanto mais 'incrédula' a pessoa for, maiores serão a sua ignorância e a sua incapacidade de descobrir coisas novas. Será sempre como um aluno que acaba de aprender algumas palavras básicas do latim e já se julga e se considera um especialista em idioma latino, ignorando as novas lições do professor ou simplesmente abandonando os estudos. Neste contexto e dentro deste mesmo panorama também serão maiores a sua soberba e a sua arrogância. Suas 'verdades' serão sempre absolutas e incontestáveis.
Para tornar-se inesquecível em suas vidas, basta que lhes mostre suas próprias contradições de forma clara, direta e precisa usando do ingrediente que menos lhes atrai: a lógica dos fatos. Provavelmente você não irá convencê-los (a menos que eles próprios admitam suas contradições), mas com toda certeza tornar-se-á inesquecível em suas vidas. 
Lembrarão de ti até na hora da morte.


Renato Curse              11 de outubro de 2016

domingo, 9 de outubro de 2016

Uma vida sem sentido


Quando um cristão se encontra à beira da ruína, deprimido, abalado e cheio de tribulações e não há um só amigo a quem possa recorrer, nem mesmo um parente, ele ainda consegue encontrar alívio na esperança de uma vida melhor, quer seja nesta ou em outra realidade.
Existe um alento, existe um alicerce que não o deixará sucumbir por completo. Esse alicerce é a sua fé. A fé em Deus, em Jesus Cristo.
O cristão tem a certeza de que esta vida é passageira, mas que existe uma nova realidade o aguardando para recompensá-lo por sua fé e suas obras. Por mais que ele sofra, nunca se sentirá abandonado. Por mais que o mundo lhe seja injusto, ele sabe que cada coisa tem seu tempo e para tudo existe um propósito maior incutido nos misteriosos desígnios de Deus. Nenhum crime e nenhuma injustiça ficarão impunes e todos os que mantiverem-se fiéis a Deus serão recompensados.

Mas, e quanto aos ateus? Como eles enxergam a vida e a existência?
Para o ateu não existe propósito nem tampouco sentido algum para nossa existência. Nós estamos aqui simplesmente porque estamos! Estamos aqui porque um dia o nada se cansou de ser o nada e decidiu dar início à existência.
Não vamos para lugar algum, morreu, acabou! Não existe alma (o princípio ativo da vida), não existe a ressurreição dos mortos em outro plano. Tudo o que fazemos está fadado ao fim eterno. Nada importa e nada tem sentido algum.
Isso sem falar que moralmente tudo está correto: roubo, estupro, assassinato, pedofilia. Se não há Deus, também não há padrão moral objetivo e tudo é permitido. Hitler e São Francisco de Assis estavam absolutamente certos em suas ideologias. Quem pode dizer que Pol Pot estava errado?

Mas, espere aí, será que o ateu se comporta como um ateu?
Claro que não! 
Se um ateu vê uma matéria na TV sobre pedofilia, assassinato ou qualquer outra injustiça, ele vai imediatamente revogar para si a moralidade cristã: "Que absurdo, isso está errado!".
A única diferença é que os ateus acreditam que todos esses crimes ficarão impunes caso a justiça dos homens fracasse. De resto, o comportamento e a reação são exatamente as mesmas de um cristão.
Quando um ateu se casa ele não quer que sua esposa siga a moralidade ateísta, mas quer que ela seja fiel a ele e que o ame (exatamente como prega a moralidade cristã). Quando um ateu tem um filho, ele até pode desejar que ele seja um ateu, mas jamais vai permitir que se comporte tal qual manda a moralidade ateísta: tudo é permitido e nada está moralmente errado. 
Na ânsia de querer negar o cristianismo, alguns ateus podem até tentar convencer as pessoas de que pouco se importam se suas esposas ou filhos comportem-se como libertinos, mas todo mundo sabe que isso é só da boca pra fora. 
Afinal, o ateu também ama, também se apaixona, também sofre por amor, por mais radicais, sensatos e despojados que tentem parecer.
O ateu também sofre a morte de um amigo ou algum parente. 

Duvido que diante do caixão de algum parente ou amigo, o ateu não se pergunte: Será que acabou aqui? 
Duvido mesmo!

Mas, não é este o ponto onde quero chegar. O que eu gostaria realmente de saber é como um ateu se comportaria se estivesse absolutamente só, se perdesse de uma só vez todos os seus amigos e familiares, se o mundo lhe virasse as costas e a depressão tomasse conta de seu ser.

O que você faria, querido ateu, você que é tão radical, tão inteligente, tão sábio, tão corajoso? 
Teria coragem de se suicidar sem pensar em qualquer consequência?

Quando algum ateu me apresentar uma resposta condizente com o sentido da pergunta, sem rodeios e mascaramentos da verdade, ele vai perceber que não é ateu coisa nenhuma. Não no sentido literal, se é que me entendem.
Não, eles não entendem!

Renato Curse                08 de outubro de 2016